A Amazon é,  hoje, uma das maiores empresas de e-commerce do planeta. No Brasil, a empresa começou a atuar a partir de dezembro de 2012 e, de lá para cá, tornou-se uma das líderes de vendas em seu segmento. Mas, afinal, o que faz a Amazon ter se consolidado como uma empresa tão grande no setor do e-commerce? Qual é o seu segredo? 

Bem, para entendermos como Amazon se tornou uma das empresas de e-commerce mais rentáveis atualmente, precisamos voltar os nossos olhos para o seu proprietário, Jeff Bezos. A história de Bezos como empreendedor, por si, já é peculiar: aos 30 anos, largou uma estável carreira em uma empresa de Wall Street para embarcar em um projeto que ele havia vislumbrado, devido à ascensão da Internet na época.

E o resultado está aí para quem quiser conferir: tendo começado com míseros 18 dólares nas ações da Nasdaq, em 1994, a Amazon fechou o seu mais recente ano fiscal com um lucro líquido de 902 milhões de dólares. Com seu talento para os negócios, o empresário transformou um pequeno e-commerce em uma das maiores varejistas do mundo, e é certamente um espelho para os pequenos empresários ambiciosos que desejam alcançar o sucesso. 

A seguir, vamos entender um pouco sobre as estratégias que Jeff Bezos usou para transformar a Amazon em uma gigante do e-commerce, e descobrir como aplicá-las ao seu negócio.

O cliente é sempre o foco

Ter um negócio de sucesso exige uma boa capacidade de tomar decisões, e nem sempre elas são das mais fáceis. Para Jeff Bezos, quando houver a necessidade de escolher um lado, que seja aquele que favorece o cliente, ainda que seja preciso sacrificar um pouco a margem de lucro. Segundo o empresário, se sua empresa estiver sempre preocupada em facilitar a vida dos consumidores, colocando-os no foco, as necessidades das outras áreas do negócio serão automaticamente supridas.

Isso quer dizer que, em determinadas situações, talvez seja necessário abrir mão da lucratividade ou até mesmo amargar um prejuízo para garantir a satisfação do seu consumidor. Por exemplo, você pode precisar dar um desconto um pouco mais agressivo para “segurar” o cliente ou ter que realizar uma troca ou devolução sem cobrança, para evitar perdê-lo. 

Em alguns momentos, pode ser melhor fidelizar o público e mantê-lo consigo do que ganhar uma porcentagem a mais na venda. E tudo bem. Portanto, naqueles casos delicados em que você precise abdicar de seu lucro em favor do contentamento do cliente, essa pode ser uma boa ideia. 

Preze pela independência

Um dos calcanhares de aquiles da Amazon era a logística. Afinal, estamos falando de uma empresa de comércio eletrônico, que precisa realizar as suas entregas da melhor maneira possível. Acontece que a Amazon, em 2013, ainda dependia bastante de transportadoras como a UPS e a FedEx, e, ao mesmo tempo, a empresa era muito criticada pelos atrasos nas entregas.

A partir desse feedback dos clientes, então, a Amazon vem experimentando, com sucesso, outras formas de logística, como ter a sua própria frota de caminhões e até criar centros de triagem mais perto dos consumidores.

O mesmo pode ser feito por você em seu empreendimento. Para se destacar no mercado, tente ser o mais autossuficiente possível. Assim, você terá mais controle de seu negócio, bem como poderá resolver pendências na base do problema.

Amar o que faz traz resultados

Sim, a gente sabe que isso soa piegas. Mas, acredite, esse é um dos conselhos de Bezos para a prosperidade. 

Para ele, escolher algo que ame é um dos conselhos principais a serem dados para quem está começando um negócio próprio, pois as pessoas que estão realmente envolvidas com o produto ou serviço que oferecem são aquelas que conseguem os melhores resultados.

Trocando em miúdos, nada de abrir uma barbearia gourmet ou um food truck de hambúrgueres artesanais só porque esses empreendimentos estão na moda. O seu negócio deve ser estrategicamente planejado, e não apenas pegar carona nas principais tendências. Afinal, os modismos vêm e vão, mas somente as ideias realmente boas ficam. 

Equipes pequenas são mais eficazes

Ainda existe um paradigma de que um empreendimento só obtém sucesso se contar com uma equipe numerosa, mas não é bem assim. Um dos bordões de Bezos é que nenhum time deve ser tão grande que não possa ser alimentado com 2 pizzas grandes. Na Amazon, por exemplo, a força-tarefa da empresa se limita a poucas pessoas, o que permite mais foco e evita divergências. 

Portanto, mesmo que o seu empreendimento se expanda, tenha sempre uma equipe pequena, mas, de confiança, pois, um pequeno contingente é capaz de tomar decisões mais acertadas do que em um ambiente repleto de colaboradores. 

Há um motivo para existirem informações sigilosas

A Amazon não informa dados operacionais importantes, como, por exemplo, a quantidade de Kindles vendidos. E ela faz isso por um motivo bem simples: não é necessário para os negócios.

Uma das estratégias de Bezos é, justamente, divulgar as informações que sejam realmente pertinentes (principalmente quando negocia com acionistas), deixando todo o resto em sigilo absoluto. 

E é exatamente esse sigilo que pode estar faltando em seu empreendimento. A partir do momento em que você divulga absolutamente tudo de seu negócio, ele fica bastante visado (principalmente, pela concorrência), e isso pode ser prejudicial.

E então, gostou das nossas dicas baseadas nas estratégias de Jeff Bezos? Já pensou em utilizá-las em sua empresa? Certamente, essas táticas ajudarão você a se manter competitivo no mercado.