Growth Hacking (ou, traduzindo literalmente, “crescimento pirateado”) é um termo empregado por Sean Ellis, um dos maiores profissionais da área de comunicação do mundo, para definir um modelo inovador baseado em encontrar oportunidades para o sucesso e criar ações específicas voltadas para o crescimento acelerado da empresa. O próprio autor da expressão afirma que a definição mais correta para o termo seria “marketing orientado a experimentos” pois, na prática, significa basicamente encontrar as oportunidades certas para ampliar o seu negócio.

Ainda segundo o próprio Sean Ellis, o Growth Hacking também pode ser personificado pela figura de um profissional de marketing, que precisa entender de processos corporativos, metodologia de experimentos, tecnologia e, o mais importante, de psicologia do consumidor. Ou seja, um bom “growth hacker” precisa conhecer o consumidor ao longo de todo o processo da compra, antes, durante e depois.

Growth Hacking: da teoria à prática

Embora o Growth Hacking seja um processo que pode variar de empresa para empresa, afinal, estamos falando de algo que é metodologicamente motivado pela experimentação, existe um passo a passo simples a seguir. Vamos, então, à prática do Growth Hacking.

Etapa 1: Funil

Tal qual o processo de vendas, o do Growth Hacking também tem seu próprio funil. Os estágios desse funil são 5: aquisição (atração e conquista do cliente), ativação (primeira boa experiência do cliente), retenção (satisfação para se continuar usando o produto), receita (faturamento para a empresa) e indicações (amigos e conhecidos do cliente que vieram comprar por indicação).

As ações de Growth Hacking precisam ser focadas em um ou mais pontos do funil que estejam com problemas, indicando assim qual a melhor atitude a ser tomada.

Etapa 2: Surgimento das ideias

O início de um Growth Hacking propriamente dito é a gestação de uma ideia, que pode vir de diversas fontes como, por exemplo, pesquisas de casos de sucesso. Após essa pesquisa, é necessário reunir a equipe e fazer um brainstorming. Assim, as ideias vão surgindo e se desenvolvendo, e tanto podem ser dadas por integrantes da mesma área, como de áreas distintas da empresa, pois, o importante mesmo é agregar valores àquela ideia em construção.

Etapa 3: Ideias selecionadas

As ideias precisam estar ligadas ao estágio do funil em que estarão focadas. Por exemplo: se for identificado que as vendas estão baixas, o ideal é focar do estágio da Aquisição.

Mas existe um ranking de prioridade para definir quais ideias serão praticadas em primeiro lugar? Na verdade, o que vai determinar isso é uma série de fatores, entre os quais o custo e a complexidade da implementação, a probabilidade de sucesso e o impacto nos resultados da empresa.

Etapa 4: Formando experimentos

É nessa etapa que a ideia vira uma hipótese. Sendo a fase das perguntas, esta é uma etapa calcada nas estatísticas. Além disso, é neste momento que a equipe e as ferramentas necessárias para a realização do experimento serão selecionadas.

Caso a ideia seja muito complexa, o ideal é dividi-la em várias fases. Porém, se o nível de complexidade e os custos excederem muito as expectativas, cabe repensar a viabilidade do projeto. Afinal, a ideia do Growth Hacking é comprovar uma hipótese da forma mais ágil possível.

Etapa 5: experimentos sendo realizados

É a prática da ideia planejada. Mas nada de desespero caso um experimento não consiga comprovar uma hipótese e a sua implementação for totalmente descartada! É nesse momento que pode surgir uma solução definitiva, desenvolvida com base na ideia original.

Realizada a implementação da ideia, é necessário que a operação e os resultados preliminares sejam monitorados. Para garantir que a execução está sendo feita conforme o planejado.

Etapa 6: balanço dos resultados

Com o experimento concluído, cabe começar a analisar os dados obtidos através dele e saber se a hipótese se confirmou ou não. Vale lembrar que o maior objetivo é o aprendizado, com os seus eventuais erros e acertos. Mesmo se a ideia original não tiver dado bons resultados, a análise dessa etapa pode fazer surgir outras ideias ainda melhores e ajudar a otimizar o processo no futuro.  

Growth Hacking é uma importante estratégia de marketing e, se bem utilizada, pode trazer resultados incríveis! Quer conhecer outras estratégias de marketing digital para impulsionar seu site? Entre agora no nosso site e conheça nossas soluções exclusivas.