O marketing digital vem se tornando cada vez mais elaborado. Nos últimos anos, foram criadas inúmeras ferramentas, conceitos inéditos e formas bastante criativas e inusitadas de se comunicar com o cliente de maneira ágil e eficaz.

Uma das inovações que têm maior potencial de melhorar os resultados e aumentar a taxa de conversão são os algoritmos de recomendação. Você sabe o que são e como funcionam esses algoritmos? Neste post, você vai descobrir! 

Convencendo o cliente

É muito comum lançar mão de táticas que apelam diretamente para a emoção do público, gerando interesse pela sua marca e estimulando a venda. E um grande aliado para gerar esse estímulo é o algoritmo de recomendação, uma tecnologia que permite a realização de campanhas com ofertas e conteúdos personalizados para cada consumidor. 

Usando equações matemáticas, os algoritmos são capazes de cruzar informações de perfil e comportamento do cliente com as características de produtos que estão em sua base de dados e, a partir daí, sugerir promoções e produtos  para cada cliente.

O próprio sistema avalia as informações disponíveis para determinar o quanto um usuário está propenso a comprar uma mercadoria ou interagir com um conteúdo, tomando por base o seu comportamento de compra e navegação. É sabido que as lojas online que utilizam algoritmos de recomendação têm, em média, 40% mais conversões e garantem 60% mais fidelidade de seus clientes.

A recomendação baseada no conteúdo e a recomendação colaborativa

Dentro da lógica desse algoritmo, o que temos, basicamente são dois tipos de ação. A primeira se trata da recomendação baseada no conteúdo, ou seja, quando o cliente recebe sugestões de produtos ou serviços similares que ele acessou anteriormente. Por exemplo, se ele acessar sempre a página de economia de um jornal, passará a receber notícias dessa editoria automaticamente. Já se costumar comprar produtos de beleza com frequência, receberá ofertas desse segmento. É o que acontece nas mídias sociais como o Facebook e o Instagram, em que as recomendações de páginas e perfis para seguir estão de acordo com o conteúdo que normalmente o usuário acessa.

O segundo tipo de ação é a colaborativa, em que o consumidor passa a receber indicações que estejam ligadas às preferências de outros clientes, contanto que estes tenham gostos parecidos com os dele. Isso possibilita, inclusive, um alcance maior da sua marca, já que os amigos dos seus clientes também podem vir a ser tornar parte do seu público-alvo. 

Os algoritmos de recomendação no auxílio das conversões

Independente do tipo de algoritmo que você use, o importante é ter em mente que a sua função no e-commerce é fazer vender mais. A principal estratégia para melhorar a conversão, atualmente, é a personalização das campanhas. Nesse sentido, apelar para a exclusividade funciona como um gatilho mental e aumenta a identificação do cliente com sua marca. 

Os algoritmos de recomendação são versáteis e eficazes, e podem ser utilizados em diversos tipos de mídias diferentes. Um exemplo clássico é o e-mail marketing. Dados indicam que ações com maior retorno em e-mail marketing fazem uso de gatilhos comportamentais e que, quando se combinam essas ações com algoritmos de recomendação, esse número pode crescer em até 30%. 

Além de campanhas de e-mail, esse tipo de algoritmo também pode ser aplicado em outras ferramentas de marketing como, por exemplo, os overlays (banners) on-site com sugestão de itens semelhantes àqueles já pesquisados ou adquiridos pelo cliente em outras ocasiões. Outra possibilidade é utilizar as notificações push para fazer recomendações aos seus consumidores. 

É possível elaborar ações variadas usando os algoritmos de recomendação como aliados. Algumas das possibilidades são as campanhas de recuperação de carrinho abandonado com uma lista de produtos do tipo “quem comprou, viu também”, as campanhas visando a diminuir a taxa de abandono do site e as campanhas de redução de preço do produto buscado. Outra possibilidade interessante é usar esse recurso dentro do próprio site, mostrando produtos relacionados à busca e à navegação enquanto o usuário percorre as páginas do site.  O ideal é fazer desse algoritmo uma ferramente para ampliar o leque de possibilidades dos seu clientes, ganhando credibilidade e solidez em um mercado cada vez mais competitivo.

E você, já faz uso de algoritmos de recomendação em seu site?